O MS DOS 5.0 de 1991

Gostou? Curta e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe também seu comentário no final da postagem!

Em 11 de junho de 1991, o MS DOS 5.0, nova versão famoso sistema operacional de disco, era lançado pela Microsoft (MS).   

O MS-DOS, ou simplesmente DOS (para os íntimos), foi ao longo de décadas “O” sistema operacional quando se falava em computadores compatíveis com o IBM PC.

Sua nova versão chegava com algumas novidades.

Um editor de texto de tela cheia, o saudoso “edit”, que vinha para substituir o lendário (e sofrível) “edlin” , presente desde as primeiras versões do sistema.

O sistema também recebia um novo ambiente para programação em linguagem BASIC, o novíssimo QBasic, em substituição ao GW-Basic, que acompanhava algumas versões do DOS desde 1983.

Dois novos “utilitários úteis” (é pleonasmo? existem alguns bem inúteis 😊) também passavam a fazer parte do sistema: o “undelete” e “unformat”, prometendo, ambos, salvar a vida de algumas pessoas. O primeiro deles se propunha a ressuscitar aquele arquivo apagado “sem querer” por um arrependido usuário. O segundo salvaria o emprego daquele técnico de computador de um disco formatado inadvertidamente.

O sistema tinha agora suporte às unidades de leitura e gravação de disquetes com capacidade de 2,88MB (que nunca foram muito populares a não ser em computadores IBM), além de reconhecer também discos rígidos com a espantosa capacidade de até 2GB.

ms dos 5 2
O “lendário” editor EDIT

No gerenciamento de memória RAM, contava nessa versão com a capacidade de carregar parte do sistema na área de memória alta (HMA), com a introdução do utilitário “HIMEM.SYS”, liberando uma maior parte do segmento principal da RAM para os programas. Por fim, o aplicativo “smartdrive” se propunha a aumentar a performance do sistema criando um “cache” dos acessos ao disco rígido.

Para demonstrar a hegemonia de mercado que a empresa tinha naquela época, nada menos que espantosos 1 milhão de cópias foram vendidas em seis semanas nos EUA.

Muitas das novidades da versão 5.0, claro, “inspiradas” no concorrente DR-DOS 5.0, da concorrente Digital Research. Mas a MS jura de pé junto que foi só uma “enorme coincidência”.

No final deste mesmo ano, a Digital Research lançaria com DR-DOS 6.0, cheio de novidades, que deixam o MS-DOS novamente para trás.

A versão 5 do MS-DOS foi a última desenvolvida em conjunto com a IBM, que tinham, até então, versões virtualmente idênticas.  A partir daí, cada empresa foi responsável por suas próprias releases.

Pra matar a saudade:

Quem matar a saudade? Você pode fazer o download dos discos de instalação do sistema neste endereço.


E você, usou alguma versão do MS-DOS?

Clique aqui e deixe seu comentário no final desta postagem! Sua participação é muito importante pra nós!

Mais em:



*As imagens utilizadas nesta postagem são meramente ilustrativas e foram obtidas da internet.


Quer nos ajudar com doações de itens para o acervo do Museu Capixaba do Computador – MCC?

Entre em contato conosco por meio dos canais de comunicação identificados nos ícones abaixo, ou ainda por quaisquer uma das nossas redes sociais listadas no topo da página.

messengerinstagram directemail
Clique no ícone desejado e entre em contato conosco!

As doações também poderão ser entregues diretamente na sede do museu, neste endereço.

Para refrescar a memória e te ajudar a identificar alguns itens que buscamos, aqui você encontra nosso álbum de “Procura-se” .

Colabore você também com o primeiro museu capixaba dedicado à memória da tecnologia da informação! 

Doe seus itens sem uso. Você ajuda a natureza e dá uma finalidade socialmente útil pra eles!


Gostou? Curta e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe também seu comentário no final da postagem!

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.