Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Em 07 de fevereiro de 2000, a Intel apresentava a especificação do “Communication and Network Riser”, o odiado slot CNR.

O CNR foi uma especificação para um tipo de slot especial para placas-mãe de computadores, que suportava interfaces de modem, áudio, USB e rede local (LAN).

Foi projetado como substituto/complemento aos slots AMR (Audio Modem Riser), lançado algum tempo antes, que serviam basicamente ao mesmo propósito, embora não aceitassem interfaces de rede e USB.

A ideia por trás do CNR (e do AMR) era a seguinte: dispositivos como modems, placas de som, etc, possuem uma parte do seu circuito que trabalha com sinais digitais (para comunicação com os sistemas internos do computador) e outra com sinais analógicos (para comunicação através do canal de áudio ou da linha telefônica). Cada placa no computador contempla então estes dois subsistemas.

slot CNR 2
Alguns exemplos de placas CNR

Foi aí que algum engenheiro teve a ideia “genial” de integrar a parte “digital” na própria placa mãe do computador (no chipset), ou, pior ainda, realizar esta tarefa por software (consumindo recursos do processador).

Uma placa, bem mais simples, seria necessária agora apenas para a parte analógica.

Surgiam aí as placas AMR e CNR, odiadas por 10 entre 10 técnicos de informática da época. 😊

No final dos anos 2000, na medida em que as interfaces de comunicação e áudio começaram a ser integradas às placas-mãe, o CNR caiu em desuso, deixando (felizmente 🎉🍾) de ser utilizado.


E você, também passou raiva com os dispositivos CNR/AMR?

Clique aqui e deixe seu comentário no final desta postagem! Sua participação é muito importante pra nós!

Vídeo(s):

*legendas disponíveis nos controles do Youtube, na opção “⚙ >> Legendas/CC >> Traduzir automaticamente”.

Os slots de expansão do computador
Mais em:



*As imagens utilizadas nesta postagem são meramente ilustrativas e foram obtidas da internet.


Quer nos ajudar com doações de itens para o acervo do Museu Capixaba do Computador – MCC?

Entre em contato conosco por meio dos canais de comunicação identificados nos ícones abaixo, ou ainda por quaisquer uma das nossas redes sociais listadas no topo da página.

WhatsAppmessengerinstagram directemail
Clique no ícone desejado e entre em contato conosco!

As doações também poderão ser entregues diretamente na sede do museu, neste endereço.

Para refrescar a memória e te ajudar a identificar alguns itens que buscamos, aqui você encontra nosso álbum de “Procura-se” .

Colabore você também com o primeiro museu capixaba dedicado à memória da tecnologia da informação! 

Doe seus itens sem uso. Você ajuda a natureza e dá uma finalidade socialmente útil pra eles!


Somos um projeto sem fins lucrativos. Mas temos despesas. 😊
Se você curte nosso trabalho, gostaria de nos ajudar a pagar as contas?

Clique no botão abaixo e faça uma contribuição voluntária, de qualquer valor!

Você ainda tem a opção de tornar esta ajuda permanente, com um valor mensal fixo, marcando a opção “Transformar em doação mensalmente

botão doação paypal
paypal QR Code doação

Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Esse slot seria o responsável por receber aqueles infames “softmodem”, plaquinhas minúsculas, quase sem nada, em contraposição àqueles modems de placonas imponentes da U.S. Robotics? Deve ser, em vista da leitura do artigo em que se menciona o consumo de recursos de processamento para acesso às redes discadas…