Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Em 6 de fevereiro de 1998, depois de muitos debates, o padrão V.90 para modems analógicos era finamente anunciado pela União Internacional de Telecomunicações (UIT/ITU).

Era o fim de anos de discussões e de muitos problemas para os consumidores, que se viam perdidos entre duas opções proprietárias concorrentes de protocolos para comunicação via modems analógicos em velocidades de 56kbps: o K56Flex, da Rockwell/Lucent/Motorola e o X2, da USRobotics.

Importante lembrarmos que falamos de uma época em que banda larga simplesmente não existia e a conectividade dos usuários domésticos de computadores dependia das linhas telefônicas fixas.

Pois é… talvez você não saiba, mas entre os anos 70 e meados dos 90 os usuários residenciais precisavam de um modem conectado à uma linha telefônica “fixa” para acessarem serviços de dados, como os BBSs. 😊

Coube ao novo padrão V.90 unificar as duas propostas originais, com as empresas, logo em seguida, disponibilizando atualizações do firmware dos modems já existentes para o novo padrão.

Os trabalhos para criação do novo padrão haviam começado na UIT em março de 1997, quando ainda era conhecido como “V.pcm”.

Na oportunidade, o líder do Grupo de Estudos 16 (SG16) da UIT, P.-A. Probst, comentou:

“Este é o menor período de tempo já levado para que uma recomendação ITU-T para modems obtivesse uma aprovação, demonstrando o compromisso da ITU-T em responder rapidamente às necessidades urgentes do mercado”.

Acreditando que este seria o “último suspiro” da tecnologia de acesso via modems analógico, o padrão recebeu o carinhoso apelido de V.last (V.último).

Isso porque, nesta época, a banda larga já começava a surgir como uma opção comercialmente viável para os acessos residenciais, canibalizando aos poucos o sistema de acesso via linhas discadas.

Três anos depois, uma versão derradeira ainda chegaria a ser lançada, o V.92, sem, contudo, trazer ganhos de velocidade de download, apenas no upload.

Para conhecer ou relembrar:

Caso queira saber mais, aqui neste endereço você acessa a íntegra da versão original da norma V.90 do ITU.


E você, chegou a acessar BBSs e Internet pela linha telefônica?

Clique aqui e deixe seu comentário no final desta postagem! Sua participação é muito importante pra nós!

Vídeo(s):

*legendas disponíveis nos controles do Youtube, na opção “⚙ >> Legendas/CC >> Traduzir automaticamente”.

Relembre o som de um modem V.90 realizando conexão.
Diferenças entre o K56, X2 e V.90 de diversos fabricantes.
Dos 300bps aos 56000bps: as história dos modems
Mais em:



*As imagens utilizadas nesta postagem são meramente ilustrativas e foram obtidas da internet.


Quer nos ajudar com doações de itens para o acervo do Museu Capixaba do Computador – MCC?

Entre em contato conosco por meio dos canais de comunicação identificados nos ícones abaixo, ou ainda por quaisquer uma das nossas redes sociais listadas no topo da página.

WhatsAppmessengerinstagram directemail
Clique no ícone desejado e entre em contato conosco!

As doações também poderão ser entregues diretamente na sede do museu, neste endereço.

Para refrescar a memória e te ajudar a identificar alguns itens que buscamos, aqui você encontra nosso álbum de “Procura-se” .

Colabore você também com o primeiro museu capixaba dedicado à memória da tecnologia da informação! 

Doe seus itens sem uso. Você ajuda a natureza e dá uma finalidade socialmente útil pra eles!


Somos um projeto sem fins lucrativos. Mas temos despesas. 😊
Se você curte nosso trabalho, gostaria de nos ajudar a pagar as contas?

Clique no botão abaixo e faça uma contribuição voluntária, de qualquer valor!

Você ainda tem a opção de tornar esta ajuda permanente, com um valor mensal fixo, marcando a opção “Transformar em doação mensalmente

botão doação paypal
paypal QR Code doação

Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *