Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Em março de 1956, na terra da rainha, entrava em operação o primeiro computador Ferranti Pegasus, fabricado pela britânica Ferranti International.

A empresa Ferranti, sediada em Manchester/Inglaterra, foi uma das empresas pioneiras no mundo no desenvolvimento de computadores, responsável pela fabricação do histórico computador Manchester/Ferranti Mark I em 1951, o primeiro computador digital comercial e totalmente eletrônico de uso geral.

Após o aprendizado e o sucesso do seu modelo anterior, a empresa, agora com uma nova unidade na cidade de Londres, desenvolve o novo projeto do Ferranti Pegasus, também chamado de Ferranti Package Computer.

Inspirado no design modular do computador Elliott 401, da também inglesa empresa Elliott Brothers Ltd (de onde muitos funcionários sairiam para vir trabalhar na Ferranti), teve seu hardware desenvolvido por William Elliott e programação desenhada por Christopher S. Strachey, sendo capaz de realizar somas em 204ms e multiplicações em 3.366ms.

computador Ferranti Pegasus 2
Console do operador do sistema

Buscando oferecer uma máquina de alta confiabilidade, fácil uso e com preço baixo, desenvolveram um projeto de engenharia totalmente modular, cuja construção se baseava em módulos “plugáveis” (placas com o tamanho de um livro), contendo duas ou três válvulas eletrônicas e demais componentes, cada, sendo um dos os pioneiros a adotar este conceito de construção.

Este mesmo conceito também era utilizado na construção das suas unidades eletromecânicas de memória de trabalho (sua memória RAM ) com capacidade de 128 palavras.

Contava ainda com uma memória auxiliar do tipo tambor magnético, com capacidade de 7936 palavras, que girava à velocidade de 3750rpm.

computador Ferranti Pegasus 3
Alguns dos seus módulos valvulados

Como o primeiro modelo não dispunha de um teclado ou impressora, a entradas e saídas ficavam a cargo de uma fita de papel perfurada de 5 pistas.

Strachey foi o responsável por desenhar o projeto lógico do Pegasus, tornando sua programação bem menos penosa que nos modelos concorrentes, contribuindo enormemente para sua popularidade entre os usuários.

Dada esta sua “facilidade de uso”, para os padrões da época, foi utilizado em bancos, universidades e, claro, em instituições científicas e de engenharia.

computador Ferranti Pegasus 4
Anúncios da época

O Pegasus I, destinado a aplicações científicas e de engenharia, evoluiria posteriormente para o modelo Pegasus II, uma versão para processamento de dados comerciais, que tinha circuitos aprimorados e mais periféricos, incluindo impressoras e unidades de fita magnética.

Ao longo de sua vida, teve por volta de 40 unidades comercializadas (dos dois modelos), sendo o modelo “valvulado” da empresa mais vendido e um dos computadores de uso geral mais bem sucedidos da Ferranti.

Acesse aqui a Íntegra do manual original de programação do Ferranti Pegasus.

Para conhecer ou relembrar:

Quer ter a sensação de utilizar o computador original dentro da sua casa? Neste endereço você encontrará informações sobre um emulador do Ferranti Pegasus e de outros computadores da Ferranti.


E você, lembra como eram os computadores do primeiro local onde você trabalhou?

Clique aqui e deixe seu comentário no final desta postagem! Sua participação é muito importante pra nós!

Vídeo(s):

*legendas disponíveis nos controles do Youtube, na opção “⚙ >> Legendas/CC >> Traduzir automaticamente”.

O Ferranti Pegasus
Mais em:



*As imagens utilizadas nesta postagem são meramente ilustrativas e foram obtidas da internet.


Quer nos ajudar com doações de itens para o acervo do Museu Capixaba do Computador – MCC?

Entre em contato conosco por meio dos canais de comunicação identificados nos ícones abaixo, ou ainda por quaisquer uma das nossas redes sociais listadas no topo da página.

WhatsAppmessengerinstagram directemail
Clique no ícone desejado e entre em contato conosco!

As doações também poderão ser entregues diretamente na sede do museu, neste endereço.

Para refrescar a memória e te ajudar a identificar alguns itens que buscamos, aqui você encontra nosso álbum de “Procura-se” .

Colabore você também com o primeiro museu capixaba dedicado à memória da tecnologia da informação! 

Doe seus itens sem uso. Você ajuda a natureza e dá uma finalidade socialmente útil pra eles!


Somos um projeto sem fins lucrativos. Mas temos despesas. 😊
Se você curte nosso trabalho, gostaria de nos ajudar a pagar as contas?

Clique no botão abaixo e faça uma contribuição voluntária, de qualquer valor!

Você ainda tem a opção de tornar esta ajuda permanente, com um valor mensal fixo, marcando a opção “Transformar em doação mensalmente

botão doação paypal
paypal QR Code doação

Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *