O vírus ILOVEYOU-LOVELETTER de 2000

Gostou? Curta e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe também seu comentário no final da postagem!

Em 04 de maio de 2000, o estudante Filipino Onel de Guzman postava uma das “cartas de amor” mais letais de toda a história: o vírus ILOVEYOU-LOVELETTER.

Também conhecido como “Love Letter” ou “Lovebug”, este “maledetto” causou incontáveis problemas para usuários de computadores e administradores de sistemas em todo o mundo.

Assim como o Happy99 e o Melissa, ambos de 1999, este novo vírus (na verdade worm, pois se espalha por conta própria via rede) se difundia por meio de um e-mail fantasiado de carta de amor. Quanta fofura ❤️.  Anexado a este email, estava o arquivo “LOVE-LETTER-FOR-YOU.txt.vbs”, no qual residia sua rotina de infecção principal.

Ao ser executado (já que a curiosidade é parte do ser humano, mas matou o gato), o vírus substituía vários arquivos importantes do computador e se retransmitia para todos os seus contatos de email cadastrados. Isso fez com que ele se difundisse bem mais rápido que seus antecessores, especialmente pelo fato da mensagem recebida vir de alguém “conhecido”.

Atacou em apenas 10 dias 50 milhões de computadores no mundo (certa de 10% de todos os computadores conectados à internet na época), obrigando instituições em todo o planeta (até a CIA!!!) a desligar temporariamente seus serviços de email. Sua erradicação gerou custos na casa dos 15bilhões de dólares.

Mesmo depois de ter sido identificado e preso pela polícia filipina, Guzman não ficou na cadeia. A legislação criminal do país não previa este tipo de crime e ele foi liberado. Visando coibir novos problemas futuros, meses depois da sua soltura, o congresso filipino aprovou Lei tipificando o crime.


E você, teve problemas com ele?

Clique aqui e deixe seu comentário no final desta postagem! Sua participação é muito importante pra nós!

Mais em:



*As imagens utilizadas nesta postagem são meramente ilustrativas e foram obtidas da internet.


Quer nos ajudar com doações de itens para o acervo do Museu Capixaba do Computador – MCC?

Entre em contato conosco por meio dos canais de comunicação identificados nos ícones abaixo, ou ainda por quaisquer uma das nossas redes sociais listadas no topo da página.

messengerinstagram directemail
Clique no ícone desejado e entre em contato conosco!

As doações também poderão ser entregues diretamente na sede do museu, neste endereço.

Para refrescar a memória e te ajudar a identificar alguns itens que buscamos, aqui você encontra nosso álbum de “Procura-se” .

Colabore você também com o primeiro museu capixaba dedicado à memória da tecnologia da informação! 

Doe seus itens sem uso. Você ajuda a natureza e dá uma finalidade socialmente útil pra eles!


Gostou? Curta e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe também seu comentário no final da postagem!

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.