Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Em 26 de abril de 1985, a britânica Acorn Computers concluía o desenvolvimento do protótipo do “Acorn RISC Machine 1”, o primeiro microprocessador ARM (ARM1).

Tido por muitos pesquisadores como sendo o primeiro processador RISC comercial do mundo, o Acorn RISC Machine (ARM) foi um microprocessador de 32 bits do tipo RISC, desenvolvido no início da década de 80 pela empresa britânica Acorn Computers, que nos anos anteriores havia alcançado enorme sucesso de mercado com seus computadores pessoais BBC Micro e Acorn Electron.

microprocessador ARM 2
Vista ao microscópio

A empresa tinha percebido que, com o lançamento do IBM PC em 1981, havia se iniciado uma ampla migração do mercado para os microprocessadores de 16 bits, o que fez com que os computadores pessoais saíssem das residências dos hobistas e começassem a dominar o mundo dos negócios.

Aliado a isso, as primeiras interfaces gráficas começaram a ser apresentadas, fatos estes que motivaram a Acorn a buscar alternativas para o desenvolvimento de um novo projeto de computador para fins corporativos.

Com o objetivo de produzir um novo modelo que tivesse uma capacidade minimamente dez vezes superior à do BBC Micro, que fosse capaz de suportar uma interface gráfica de usuário (GUI) e que, ao mesmo tempo, tivesse custos acessíveis, concluíram que opções conhecidas de processadores do mercado não seriam capazes de endereçar a todas estas dimensões.

microprocessador ARM 3
Esboço original da equipe de desenvolvimento

Foi quando, após conhecerem as pesquisas da Universidade da Califórnia (Berkeley) no desenvolvimento de microprocessadores com conjunto de instruções reduzido (RISC), decidiriam pela criação da sua própria CPU RISC, com um projeto iniciado em 1983 pela sua divisão de pesquisa e desenvolvimento.

E assim, após dois nos de trabalho e utilizando 25.000 transistores, no dia de hoje chegava o primeiro lote de amostras dos microprocessadores de 32bits ARM RISC projetados pela Acorn, cuja manufatura havia sido encomendada da “VLSI Technology”, grande fabricante estadunidense de microchips.

Caberia ao seu histórico microcomputador BBC Micro a missão de realizar o primeiro teste da nova CPU ARM, instalado nele sob a forma de um “coprocessador”, num kit de avaliação não comercial.

microprocessador ARM 4
Um dos kits de avaliação do ARM produzidos para o BBC Micro

Para surpresa de todos, esta primeira versão, que rodava a 6MHz, chegava a ser 10 vezes mais rápida que os seus contemporâneos Intel 80286 e Motorola 68020.

O BBC Micro “turbinado” com o ARM seria ainda a plataforma utilizada para projetar sua própria segunda geração, o ARM2, lançado em 1986, que tinha desempenho sete vezes superior ao do Motorola 68000 e duas vezes mais rápido que um Intel 80386.

Mas seria o computador “Acorn Archimedes”, de 1987, o primeiro desktop a contar com um processador ARM (já em sua versão 2) como “cérebro”, rodando a 8MHz de velocidade. Mas sua aparição, digamos, atrasada em relação ao já consolidado mercado “PC”, fez com que seu sucesso fosse moderado, especialmente pela pouca disponibilidade de softwares.

microprocessador ARM 5
Acorn Archimedes: primeiro computador pessoal com ARM

A Acorn seguiria comandando diretamente o desenvolvendo das novas versões da arquitetura até 1990, quando fundaria a subsidiária Advanced RISC Machines Ltd, depois rebatizada como “ARM Ltd”.

Nesta mesma época, o projeto do ARM ganharia um novo aliado de peso, a Apple, que se juntaria à empresa para financiar o desenvolvimento da CPU, resultando, em 1992, no lançamento do ARM6, utilizado no PDA Apple Newton.

Atualmente a arquitetura ARM está licenciada para várias empresas, como Apple, Intel, LG, Microsoft, NEC, Nintendo, Nvidia, Sony, Samsung, entre outras, que produzem diversas variantes, presentes numa enormidade de dispositivos e em mais de 95% dos smartphones do mundo.

Por serem potentes, baratos e de baixo consumo de energia, são ideais para dispositivos PDAs, media players, celulares, tablets, Android Boxes, aparelhos de smart TV, sendo, contudo, usados até mesmo em alguns modelos de computadores do tipo notebook e desktop.


E você, conheceu algum computador pessoal com processador ARM?

Clique aqui e deixe seu comentário no final desta postagem! Sua participação é muito importante pra nós!

Vídeo(s):

*legendas disponíveis nos controles do Youtube, na opção “⚙ >> Legendas/CC >> Traduzir automaticamente”.

Documentário: Como amadores criaram o processador mais popular do mundo
O nascimento do ARM
Entrevista com Sophie Wilson, uma das criadoras do ARM
O primeiro computador com ARM: o Acorn Archimedes
Edição do programa Computer Chronicles sobre RISC (1986)
Mais em:



*As imagens utilizadas nesta postagem são meramente ilustrativas e foram obtidas da internet.


Quer nos ajudar com doações de itens para o acervo do Museu Capixaba do Computador – MCC?

Entre em contato conosco por meio dos canais de comunicação identificados nos ícones abaixo, ou ainda por quaisquer uma das nossas redes sociais listadas no topo da página.

WhatsAppmessengerinstagram directemail
Clique no ícone desejado e entre em contato conosco!

As doações também poderão ser entregues diretamente na sede do museu, neste endereço.

Para refrescar a memória e te ajudar a identificar alguns itens que buscamos, aqui você encontra nosso álbum de “Procura-se” .

Colabore você também com o primeiro museu capixaba dedicado à memória da tecnologia da informação! 

Doe seus itens sem uso. Você ajuda a natureza e dá uma finalidade socialmente útil pra eles!


Somos um projeto sem fins lucrativos. Mas temos despesas. 😊
Se você curte nosso trabalho, gostaria de nos ajudar a pagar as contas?

Clique no botão abaixo e faça uma contribuição voluntária, de qualquer valor!

Você ainda tem a opção de tornar esta ajuda permanente, com um valor mensal fixo, marcando a opção “Transformar em doação mensalmente

botão doação paypal
paypal QR Code doação

Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *