Gostou? Curta e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe também seu comentário no final da postagem!

Em 17 de julho de 1970, o inventor Ralph Baer demonstrava (novamente) à fabricante de eletrônicos Magnavox o sistema de vídeo game que tinha inventado, a Brown Box.

Esse já era o sétimo protótipo de Baer, que vinha trabalhando na sua ideia [1] desde 1966. Na falta de um nome melhor, chamou-o de “Caixa Marrom” (Brown Box), por conta do revestimento plástico que imitava uma madeira escura, usado por ele na caixa.

Outras demonstrações para empresas do setor como RCA, GE, Zenith, Sylvania, Sears e a própria Magnavox tinham sido feitas antes, mas nenhuma delas havia se mostrado muito interessada… Afinal, pra quer serviria um videogame em casa? 😊

A RCA até tinha chegado a fechar um acordo com Baer em março deste mesmo ano, mas voltou atrás algum tempo depois e cancelou o acordo.

Contudo, depois de todos estes reveses, conseguiram marcar uma nova demonstração para a equipe da Magnavox. Uma nova esperança ressurgia.

Foram até a empresa e montaram todo o “circo” na sala de reuniões, utilizando a TV de 19” que lá existia. Embora várias pessoas já estivessem presentes, tiveram que aguardar por algum tempo a chegada do vice-presidente de marketing, Gerry Martin, para que a demonstração se iniciasse.

Brown Box 2
Um proeminente inventor também em outras áreas

E a nova demonstração começou…. e ninguém na sala parecia muito entusiasmado com o “brinquedo”… exceto o tal Gerry Martin, que ao final da apresentação teria dito a frase que mudaria tudo: “nós vamos adiante com isso”.

E nove meses depois nascia aquele que viria a ser o primeiro videogame da história, o Magnavox Odyssey [2].

Junto com ele, chegava a indústria dos videogames!

Baer foi um proeminente inventor em diversas outras áreas, tendo obtido mais de 150 patentes em sua vida.

Uma de suas outras invenções super famosas foi o brinquedo “Simon”, que aqui no Brasil ficou conhecido com o nome de “Genius”, lançado pela empresa Estrela.

Reza a lenda que o histórico arcade PONG [3] da Atari [4] teria sido “inventado” após Nolan Bushnell (fundador da Atari), ainda trabalhando na Nutting Associates, ter visto uma demonstração do jogo “tênis de mesa” do Odyssey…

Tempos depois do lançamento do PONG, a Magnavox, claro, processaria a Atari, chegando a um acordo em 1976.

A empresa ainda ganharia outros 100 milhões de dólares em processos envolvendo as patentes do Odyssey, que expiraram apenas em 1990.


E você, jogou algum modelo do Odyssey?

Clique aqui e deixe seu comentário no final desta postagem! Sua participação é muito importante pra nós!

Quer experimentar este e outros computadores e consoles antigos, do Brasil e do mundo, de forma virtual no seu próprio PC?
Baixe neste endereço o multiemulador do Museu Capixaba do Computador (MCCEmu) e divirta-se!


Vídeos(s):

*legendas disponíveis nos controles do Youtube, na opção “Legendas/CC –> Traduzir automaticamente”.

Ralph Baer e seu amigo Bill mostram a Brown Box em 1969
Comercial do Odyssey dos anos 70
Mais em:



*As imagens utilizadas nesta postagem são meramente ilustrativas e foram obtidas da internet.


Quer nos ajudar com doações de itens para o acervo do Museu Capixaba do Computador – MCC?

Entre em contato conosco por meio dos canais de comunicação identificados nos ícones abaixo, ou ainda por quaisquer uma das nossas redes sociais listadas no topo da página.

messengerinstagram directemail
Clique no ícone desejado e entre em contato conosco!

As doações também poderão ser entregues diretamente na sede do museu, neste endereço.

Para refrescar a memória e te ajudar a identificar alguns itens que buscamos, aqui você encontra nosso álbum de “Procura-se” .

Colabore você também com o primeiro museu capixaba dedicado à memória da tecnologia da informação! 

Doe seus itens sem uso. Você ajuda a natureza e dá uma finalidade socialmente útil pra eles!


Gostou? Curta e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe também seu comentário no final da postagem!

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.