Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Em 05 de junho de 1983, durante a edição de verão da famosa feira Consumer Electronics Show (CES), a fabricante estadunidense Coleco apresentava seu novo microcomputador Coleco Adam.

Desenvolvido pela fabricante de brinquedos e videogames norte-americana Coleco Industries, o microcomputador Coleco Adam foi projetado tendo como ponto de partida o popular e bem-sucedido console de videogame ColecoVision.

microcomputador Coleco Adam 2
Versão computador: vistas lateral e interna, com detalhe dos slots internos de expansão

A história do Coleco Adam seguia a esteira de sucesso do console ColecoVision, um dos concorrentes do Atari 2600 no mercado de videogames na época, numa tentativa ambiciosa da capitalizar essa popularidade do console e expandir sua linha de produtos para incluir um computador pessoal, passando a atuar também neste segmento.

Disponível tanto sob a forma de um módulo de expansão, que transformava o videogame ColecoVision em um computador, quanto como um computador completo, combinava as funcionalidades de computador e console de videogame num único dispositivo, sendo uma das primeiras experiências históricas de um sistema híbrido.

Foi projetado como um sistema integrado, com um gabinete que incluía, além da placa principal, um gravador de fita cassete e slot para conectar os cartuchos de jogos do ColecoVision. Um teclado e uma impressora tipo “margarida” também compunham o conjunto, oferecendo aos usuários uma opção completa e versátil de entretenimento e produtividade.

microcomputador Coleco Adam 3
Vistas traseiras da impressora (a) e da versão computador (b)

Contava com um microprocessador Zilog Z-80A de 3,58 MHz, três processadores auxiliares Motorola MC6801 operando a 1 MHz (para gerenciamento de memória/entrada e saída, controle do gravador K7 e controle de teclado), 64KB de memória RAM, memória ROM de 32KB, processador de vídeo Texas Instruments TMS9928A (com resolução máxima de 256×192 pontos, 16 cores e memória de vídeo dedicada de 16KB), processador de áudio Texas Instruments SN76489 (com 4 canais, equivalente ao Texas Instruments TMS9919), 3 slots internos de expansão, teclado profissional de 75 teclas, dois joysticks, slot para cartuchos ColecoVision na parte superior, fita cassete Digital Data Pack com capacidade de 256 KB, além de conexões externas serial AdamNet, expansão padrão ColecoVision e vídeo.

O sistema também possuía uma unidade de disquete opcional, vendida separadamente, que permitia rodar o tão desejado e onipresente sistema operacional de disco CP/M.

A impressora que fazia parte do pacote era uma curiosidade a parte. Isso porque a fonte de alimentação de todo o sistema, incluindo o computador, estava instalada “dentro” da impressora. Ou seja, se a impressora estivesse desconectada ou com defeito, nada de conseguir ligar o computador. 😊

microcomputador Coleco Adam 4
Versão “módulo de expansão” para o videogame ColecoVision

Outro fato curioso estava relacionado ao pulso eletromagnético gerado pelo sistema toda vez que era ligado, capaz de apagar o conteúdo de fitas e disquetes que estivessem próximos.

O mais esquisito é que as primeiras versões do próprio manual, alterado depois, orientavam o usuário a colocar a fita com o software desejado “dentro” da unidade de leitura, antes de inicializar o computador… e ao ligar… puff… tudo apagado. 😊

Além disso, o sistema permitia que os usuários jogassem os cartuchos de jogos do videogame ColecoVision, o que proporcionava uma experiência de jogo adicional.

Diferentemente de outros computadores do mesmo período, o Coleco Adam não dispunha de um interpretador de linguagem BASIC integrado na sua ROM, sendo este interpretador (o SmartBASIC, compatível com o Applesoft BASIC) fornecido na forma de fita cassete padrão Digital Data Pack, um formato especial da Coleco que, apesar de “parecido” com as fitas k7 comuns de áudio, era incompatível.

microcomputador Coleco Adam 5
Acessórios que acompanhavam o Coleco Adam

Ao se ligar o computador, no lugar do BASIC, era apresentado o software SmartWriter, que desempenhava os papeis tanto como máquina de escrever eletrônica quanto de processador de texto.

Quando em modo “máquina de escrever”, cada letra pressionada no teclado era imediatamente enviada à impressora, como esperado de uma máquina de datilografia. 😊 Bastava pressionar a tecla Escape/WP para que o software alternasse para a função “processador de texto”, cujo funcionamento era análogo ao dos editores de texto dos computadores atuais.

Comparado com seus concorrentes da época, o Coleco Adam enfrentou uma competição acirrada, chegando em um mercado de computadores pessoais que estava em rápido crescimento e abarrotado de alternativas disponíveis aos consumidores.

microcomputador Coleco Adam 6
Placa principal da versão “computador”

Isso porque, embora contasse com a vantagem de herdar o grande catálogo jogos do ColecoVision, o Coleco Adam tinha como competidores ninguém menos que os populares Commodore 64, Atari 600XL/800XL, TRS-80 e Texas Instruments TI-99/4A, que ofereciam funcionalidades semelhantes, preços melhores e tinham ainda uma base de jogos, e especialmente de aplicativos, mais estabelecida.

Além disso, a ausência de disponibilidade imediata de uma unidade de disquetes (lançada posteriormente), já populares neste momento, limitaram ainda mais a capacidade do Coleco Adam de competir em pé de igualdade com seus concorrentes.

O Coleco Adam enfrentaria ainda, além dos sucessivos atrasos na data de seu lançamento (adiadas reiteradamente desde agosto até outubro de 1983 por problemas de fabricação), diversos problemas técnicos que afetaram sua reputação e desempenho no mercado, ocasionado, além da frustração aos consumidores, um elevado índice de reclamações e devoluções das unidades vendidas.

Seu lançamento ocorreria, finalmente, em outubro de 1983, com um preço inicial de US$ 700 pelo conjunto.

microcomputador Coleco Adam 7
Anúncios da época, mostrando suas duas versões disponíveis

Em função de todos os problemas que enfrentou, o computador não vendeu tão bem quanto a empresa imaginava, com o volume esperado de 500mil unidades vendidas até o Natal, se convertendo em apenas 95 mil. Por fim, o Coleco Adam foi descontinuado em 1985, após apenas dois anos de mercado.

Apesar dos desafios, o Coleco Adam deixaria um legado na história dos computadores de uso doméstico, ajudando a abrir o caminho para a convergência entre computadores e consoles de videogame e mostrando o potencial de um sistema que pudesse oferecer tanto entretenimento quanto produtividade em um único dispositivo.


E você, utilizou algum exemplar do Coleco Adam ou do ColecoVision?

Clique aqui e deixe seu comentário no final desta postagem! Sua participação é muito importante pra nós!

Vídeo(s):

*legendas disponíveis nos controles do Youtube, na opção “⚙ >> Legendas/CC >> Traduzir automaticamente”.

Review completo das versões do Coleco Adam
O Coleco Adam era apresentado na reunião da Boston Computer Society em 28/9/1983
Comercial da Época
Usando um Coleco Adam
Mais em:



*As imagens utilizadas nesta postagem são meramente ilustrativas e foram obtidas da internet.


Quer nos ajudar com doações de itens para o acervo do Museu Capixaba do Computador – MCC?

Entre em contato conosco por meio dos canais de comunicação identificados nos ícones abaixo, ou ainda por quaisquer uma das nossas redes sociais listadas no topo da página.

WhatsAppmessengerinstagram directemail
Clique no ícone desejado e entre em contato conosco!

As doações também poderão ser entregues diretamente na sede do museu, neste endereço.

Para refrescar a memória e te ajudar a identificar alguns itens que buscamos, aqui você encontra nosso álbum de “Procura-se” .

Colabore você também com o primeiro museu capixaba dedicado à memória da tecnologia da informação! 

Doe seus itens sem uso. Você ajuda a natureza e dá uma finalidade socialmente útil pra eles!


Somos um projeto sem fins lucrativos. Mas temos despesas. 😊
Se você curte nosso trabalho, gostaria de nos ajudar a pagar as contas?

Clique no botão abaixo e faça uma contribuição voluntária, de qualquer valor!

Você ainda tem a opção de tornar esta ajuda permanente, com um valor mensal fixo, marcando a opção “Transformar em doação mensalmente

botão doação paypal
paypal QR Code doação

Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *