O microprocessador Cyrix 6x86MX (M2) de 1997

Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Em 30 de maio de 1997, a fabricante norte-americana de microprocessadores Cyrix lançava o microprocessador Cyrix 6x86MX (M2).

A empresa, que era subsidiária da gigante dos microchips Texas Instruments (TI), nesta data lançava sua nova CPU, visando competir com o “Pentium MMX”, da arquirrival Intel.

A “corrida” dos concorrentes começou logo depois da Intel anunciar que estava trabalhando no sucessor do Pentium. Assim, AMD e Cyrix começaram a disputar quem lançaria a primeira versão “alternativa”.

microprocessador Cyrix 6x86MX 3
A versão fabricada pela IBM

Até que, em abril do ano de 1997, a AMD parecia ter ganho esta corrida ao anunciar o lançamento do seu microprocessador AMD K6.

Mas a Cyrix tinha uma surpresa…. Pouco mais de 1 mês depois da AMD, a Cyrix surge com sua nova CPU de 6ª geração, sem avisos e para a surpresa de todos.

Utilizando 6.500.000 transistores em sua construção, o Cyrix 6x86MX, além de incluir as instruções MMX, trazia ainda outras melhorias em relação ao Cyrix 6×86 original.

microprocessador Cyrix 6x86MX 4
Vista ao microscópio

Entre outras novidades, incrementou a memória cache com um tamanho quatro vezes maior (64KB), melhorou o projeto resultando em um ganho substancial de performance em operações de 32bits, tudo isso ainda mantendo seu preço super competitivo em relação aos concorrentes.

Em linhas gerais era um bom microprocessador, possuindo uma performance com cálculos envolvendo números inteiros superior aos concorrentes.

Contudo, ainda carecia de uma melhor unidade para operações de ponto flutuante, o que prejudicava em muito os resultados dos testes comparativos em operações que envolviam cálculos mais complexos.

microprocessador Cyrix 6x86MX 2
Variantes já com a identificação “MII”

Considerando que o nome Cyrix 6x86MX não dizia muita coisa para os usuários, algum tempo depois foi rebatizado como “MII” ou “M2”, a fim de concorrer com o Pentium II da Intel.

Ao logo de sua existência, teve versões trabalhando entre 133 e 300MHz de frequência de clock.

A IBM também comercializou este mesmo processador com a sua própria marca. Anos depois a Cyrix viria a ser comprada pela VIA.


E você, teve algum computador com o processador Cyrix 6x86MX?

Clique aqui e deixe seu comentário no final desta postagem! Sua participação é muito importante pra nós!

Vídeo(s):

*legendas disponíveis nos controles do Youtube, na opção “⚙ >> Legendas/CC >> Traduzir automaticamente”.

O que aconteceu com os microprocessadores Cyrix?
Mais em:



*As imagens utilizadas nesta postagem são meramente ilustrativas e foram obtidas da internet.


Quer nos ajudar com doações de itens para o acervo do Museu Capixaba do Computador – MCC?

Entre em contato conosco por meio dos canais de comunicação identificados nos ícones abaixo, ou ainda por quaisquer uma das nossas redes sociais listadas no topo da página.

WhatsAppmessengerinstagram directemail
Clique no ícone desejado e entre em contato conosco!

As doações também poderão ser entregues diretamente na sede do museu, neste endereço.

Para refrescar a memória e te ajudar a identificar alguns itens que buscamos, aqui você encontra nosso álbum de “Procura-se” .

Colabore você também com o primeiro museu capixaba dedicado à memória da tecnologia da informação! 

Doe seus itens sem uso. Você ajuda a natureza e dá uma finalidade socialmente útil pra eles!


Somos um projeto sem fins lucrativos. Mas temos despesas. 😊
Se você curte nosso trabalho, gostaria de nos ajudar a pagar as contas?

Clique no botão “Doar” abaixo e faça uma contribuição voluntária, de qualquer valor!

Você ainda tem a opção de tornar esta ajuda permanente, com um valor mensal fixo, marcando a opção “Transformar em doação mensalmente

botão doação paypal
paypal QR Code doação

Mas caso não possa colaborar com doações, você também nos ajuda muito clicando no anúncio abaixo:


Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *