Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Em 02 de fevereiro de 1977, era demonstrado para a diretoria da Tandy Corporation o protótipo do microcomputador TRS-80, o primeiro modelo da família.

A história da Tandy com os computadores teria começado por volta de 1976, quando os funcionários Don French e John Roach conhecem o novo microprocessador SC/MP da National Semiconductor, apresentado a eles pelo Engenheiro Steven W. Leininger (Steve Leininger).

Impressionados com Leininger, tentaram obter da National seu contato, para eventualmente contratá-lo para prestar algumas consultorias para a Tandy Corporation. A National, contudo, se negou a passar seus dados de contato.

Mas para a sorte da dupla, mais tarde, numa passagem pela loja Byte Shop (a mesma que adquiriu as primeiras unidades do lendário Apple I), deram de cara exatamente com Leininger, que trabalhava lá como balconista no turno da noite. Bateram um longo papo, convidando-o para conhecer a Tandy algumas semanas depois, quando lhe ofereceram um emprego.

Mas foi só depois de aceitar a proposta que Leininger percebeu que um microcomputador não era um assunto “prioritário” dentro da nova empresa, ficando durante os primeiros 6 meses sendo deslocado entre diversos projetos sem muita relevância.

Foi quando os negócios da Tandy começaram a ir mal e a busca por algum “novo produto” começou a movimentar a empresa, que Leininger receberia carta branca para finalmente desenvolver seu computador

A ideia inicial era criar um kit barato do tipo “faça você mesmo”, para que o próprio usuário realizasse a montagem.

Ficaram, contudo, receosos de que os compradores “leigos”, não iniciados na arte da eletrônica, tivessem dificuldades de realizar esta tarefa complexa de montagem, o que prejudicaria o sucesso do projeto.

Nos primeiros estudos, os projetistas Don French e Steve Leininger, consideraram usar as CPUs National SC/MP, Morotola 6800 e Intel 8080. Mas depois de muitas negociações e avaliações, resolveram adotar o novíssimo microprocessador Zilog Z-80, lançado no ano anterior.

Com protoboards, componentes eletrônicos e muitos fios, Leininger construiu a versão final do protótipo, composto de uma CPU Zilog Z-80 operando a 1,77MHz, 1KB de memória RAM, 2KB de memória ROM (com o interpretador BASIC integrado) e conexão para TV.

Depois de meses de trabalho, o protótipo daquele que viria a ser o primeiro modelo do TRS-80, seria finalmente demonstrado para Charles Tandy, presidente da Tandy Corporation, proprietária da famosa cadeia norte-americana de eletrônicos “RadioShack”, que comercializaria o equipamento.

Chegado o grande dia da demonstração para Tandy, toda a parafernália foi montada sob uma mesa e coberta por uma cortina, deixando de fora apenas o teclado e o monitor.

Decidiram fazer a apresentação carregando um programa para cálculo de imposto de renda, informando um salário de 150mil, que travou o programa. 😊

Aquele protótipo só era capaz de representar números inteiros de 16bits (até 65.535).

Reduziram então o valor para a faixa permitida, com o programa funcionando como esperado.

Leininger lembra de ficar um pouco desanimado porque Charles Tandy, que de forma indiferente apenas fumava seu charuto, saiu da sala sem falar nada, deixando a todos os engenheiros apreensivos.

Apesar da aparente indiferença, ele tratou de “vazar” imediatamente para a impressa a notícia do novo produto.

Restava agora decidirem “quantas” unidades iriam produzir.

Depois de muita discussão interna, decidiram fabricar exatas 3.500 unidades, que era exatamente o número de lojas que a RadioShack tinha espalhadas pelos EUA na época. Se ninguém se interessasse pelo computador, ao menos ele poderia ser usado na loja para controle de estoque ou coisa parecida. Aparentemente, não levaram muita fé no micrinho.

Estava assim aprovado o projeto, nascendo aí um dos grandes ícones da história dos computadores pessoais, que seria lançado em 03 de agosto do mesmo ano.

O TRS-80 formou, juntamente com o Apple II e o Commodore PET, aquela que ficaria conhecida como a “trindade de 1977”.

Aqui pelo Brasil, a linha TRS-80 desembarcaria na for de “clones”, como os Digitus DGT-100 e DGT-1000, Dismac D-8000 e o Sysdata Jr.

protótipo do microcomputador TRS-80 2
Um TRS-80 virtual no MCCEmu

Quer experimentar este e outros computadores e consoles antigos, do Brasil e do mundo, de forma virtual no seu próprio PC?
Baixe neste endereço o multiemulador do Museu Capixaba do Computador (MCCEmu) e divirta-se!


E você, teve algum dos modelos TRS-80 ou seus clones?

Clique aqui e deixe seu comentário no final desta postagem! Sua participação é muito importante pra nós!

Vídeo(s):

*legendas disponíveis nos controles do Youtube, na opção “⚙ >> Legendas/CC >> Traduzir automaticamente”.

Visão geral do TRS-80 modelo I
Desmontando um TRS-80 modelo I
Jogos do TRS-80
Steven W. Leininger fala de sua vida em entrevista de 2015
Aprenda a programar em BASIC com o TRS-80 I.
Mais em:



*As imagens utilizadas nesta postagem são meramente ilustrativas e foram obtidas da internet.


Quer nos ajudar com doações de itens para o acervo do Museu Capixaba do Computador – MCC?

Entre em contato conosco por meio dos canais de comunicação identificados nos ícones abaixo, ou ainda por quaisquer uma das nossas redes sociais listadas no topo da página.

WhatsAppmessengerinstagram directemail
Clique no ícone desejado e entre em contato conosco!

As doações também poderão ser entregues diretamente na sede do museu, neste endereço.

Para refrescar a memória e te ajudar a identificar alguns itens que buscamos, aqui você encontra nosso álbum de “Procura-se” .

Colabore você também com o primeiro museu capixaba dedicado à memória da tecnologia da informação! 

Doe seus itens sem uso. Você ajuda a natureza e dá uma finalidade socialmente útil pra eles!


Somos um projeto sem fins lucrativos. Mas temos despesas. 😊
Se você curte nosso trabalho, gostaria de nos ajudar a pagar as contas?

Clique no botão abaixo e faça uma contribuição voluntária, de qualquer valor!

Você ainda tem a opção de tornar esta ajuda permanente, com um valor mensal fixo, marcando a opção “Transformar em doação mensalmente

botão doação paypal
paypal QR Code doação

Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *