Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Em 19 de janeiro de 1983, a Apple lançava seu novo e aguardado modelo da linha Apple II, o microcomputador Apple IIe.

Nesta altura, a fabricante de computadores norte-americana Apple já era uma das marcas mais vendidas do mundo, em decorrência do enorme sucesso dos seus modelos anteriores Apple II e Apple II+, com mais de 750mil unidades vendidas.

O Apple IIe, com “e” de “enhanced” (aprimorado), surgiu quando a Apple percebeu que, mesmo após o lançamento do Apple III, as vendas do Apple II não diminuíram e, pelo contrário, continuavam subindo.

O microcomputador Apple IIe de 1983 2
Vistas externas

Foi só então que resolveram dar “uma nova olhada” no já velhinho Apple II+. Aproveitaram, e incorporaram nele novas funcionalidades interessantes que haviam sido criadas para o Apple III, focado no mercado corporativo, mas que não vinha dando muito certo.

Dentre outras novidades, o Apple IIe incluía um novo sistema de caracteres com suporte a letras maiúsculas e minúsculas, acesso à bancos de memória chaveada, redução em quase 75% no número de componentes consolidando circuitos integrados em chips customizados, quatro teclas de cursor, teclas “delete” e “tab”, teclas especiais da maçã “cheia” e “vazada”, repetição automática de tecla pressionada e o novo sistema operacional ProDOS.

O microcomputador Apple IIe de 1983 3
Vista interna

Ele repetia a receita de sucesso dos seus antepassados, contando com a CPU MOS 6502 rodando a 1,023 MHz, memória RAM de 64KB (expansível diretamente a até 128KB ou ainda alguns MB com placas extras), memória ROM de 16KB, 6 slots internos de expansão e conexões externas para vídeo e K7.

Uma enorme parcela do sucesso do Apple IIe se deveu à já conhecida capacidade de expansão dos modelos da família Apple II.

Essa vasta disponibilidade de placas e acessórios existentes para os modelos anteriores, possibilitava até que modelos Apple II e Apple II+ pudessem passar a ter funcionalidades similares ao Apple IIe.

O microcomputador Apple IIe de 1983 4
Detalhes da placa principal

A questão é que este novo modelo já trazia todas estas melhorias incorporadas de fábrica, o que era um grande ganho para o usuário, tanto em relação à confiabilidade do equipamento, quando na economia de dinheiro que isso trazia.

A “quase” total compatibilidade com os modelos anteriores garantia também a possibilidade de uso da vasta biblioteca de softwares existentes.

Isso, sem sombra de dúvida, foi um dos fatores chave para que a Apple se mantivesse competitiva num mercado dominado pelos PCs, não sendo conduzida ao mesmo fim dos Commodore, Sinclair, MSX, BBC Micro, ORIC, Timex, TRS-80, entre muitos outros. Este é um mérito pelo qual a Apple merece ser reconhecida: a capacidade de competir com o “padrão PC” sem sucumbir.

O microcomputador Apple IIe de 1983 5
Anúncios da época

Dois anos depois, em 1985, um novo “upgrade” chegaria com o modelo “Enhanced” Apple IIe (Enhanced duas vezes?), já com 128k de memória RAM, 32k de memória ROM e a nova CPU MOS 65C02, a mesma do compacto Apple IIc.

Em 1987, era a vez da derradeira versão, o Apple IIe Platinum, com um novo teclado, novo gabinete e pequenas alterações de hardware.

Os planos de encerrar a vida da linha Apple II depois do lançamento do Apple III, em 1980, acabaram não se concretizado, seja pela sucessão de problemas de projeto do Apple III, seja pela legião de fãs que se recusavam a abandonar o Apple II, mesmo anos depois do seu lançamento.

O microcomputador Apple IIe de 1983 6
Anúncios da época: “O mesmo velho Apple II: exceto pela frente, traseira e interior.”

Isso fez do Apple IIe o modelo mais longevo da família, tendo sido produzido de 1983 à 1993, quando a linha foi definitivamente extinta em favor dos Macintosh.

Aqui pelas terras tupiniquins, tivemos algumas “versões fortemente inspiradas” no Apple IIe, como os microcomputadores Spectrum Micro Engenho II,  Spectrum ED, CCE Exato Pro //e, além do mais conhecido deles: o Microdigital TK-3000 IIe.

O microcomputador Apple IIe de 1983 7
Um Apple IIe virtual no MCCEmu

Quer experimentar este e outros computadores e consoles antigos, do Brasil e do mundo, de forma virtual no seu próprio PC?
Baixe neste endereço o multiemulador do Museu Capixaba do Computador (MCCEmu) e divirta-se!


E você, o que acha da Apple ter substituído a linha Apple II pelo Macintosh?

Clique aqui e deixe seu comentário no final desta postagem! Sua participação é muito importante pra nós!

Vídeo(s):

*legendas disponíveis nos controles do Youtube, na opção “⚙ >> Legendas/CC >> Traduzir automaticamente”.

Restaurando um Apple IIe
Conheça toda a linha Apple II
Mais em:



*As imagens utilizadas nesta postagem são meramente ilustrativas e foram obtidas da internet.


Quer nos ajudar com doações de itens para o acervo do Museu Capixaba do Computador – MCC?

Entre em contato conosco por meio dos canais de comunicação identificados nos ícones abaixo, ou ainda por quaisquer uma das nossas redes sociais listadas no topo da página.

WhatsAppmessengerinstagram directemail
Clique no ícone desejado e entre em contato conosco!

As doações também poderão ser entregues diretamente na sede do museu, neste endereço.

Para refrescar a memória e te ajudar a identificar alguns itens que buscamos, aqui você encontra nosso álbum de “Procura-se” .

Colabore você também com o primeiro museu capixaba dedicado à memória da tecnologia da informação! 

Doe seus itens sem uso. Você ajuda a natureza e dá uma finalidade socialmente útil pra eles!


Somos um projeto sem fins lucrativos. Mas temos despesas. 😊
Se você curte nosso trabalho, gostaria de nos ajudar a pagar as contas?

Clique no botão abaixo e faça uma contribuição voluntária, de qualquer valor!

Você ainda tem a opção de tornar esta ajuda permanente, com um valor mensal fixo, marcando a opção “Transformar em doação mensalmente

botão doação paypal
paypal QR Code doação

Gostou? Curta, comente e compartilhe a publicação original! Ajude a divulgar o projeto! Deixe seu comentário no final desta postagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *